Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas notícias > Pico da Neblina pode voltar a receber turistas
Início do conteúdo da página
destino

Pico da Neblina pode voltar a receber turistas

Indígenas Yanomami querem retomar ecoturismo no ponto mais alto do Brasil. Lista de espera com inscrições para os interessados na visita estão abertas

  • Publicado: Quinta, 17 de Maio de 2018, 13h36
  • Última atualização em Quinta, 17 de Maio de 2018, 13h41

Por Nayara Oliveira

*com informações do ICMBio

17 05 18 Pico da Neblina Icmbio
Crédito: ICMBio

O Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio) aprovou, nesta semana, proposta para retomar atividades turísticas no Pico da Neblina, ponto mais alto do país, localizado no Amazonas. A medida faz parte do Plano de Visitação Yaripo – Ecoturismo Yanomami, que busca implantar o ecoturismo sustentável e harmônico na região a partir de 2019. Agora, a proposta espera aprovação da Fundação Nacional do Índio (Funai) para que a etnia Yanomami, responsável pelo projeto, possa levar turistas na montanha.

A ação trará vantagens sociais, ambientais e econômicas para a região do Yaripo, como é conhecido, pelos indígenas, o Pico da Neblina. O local não recebe turistas desde 2002, quando a atividade foi vetada por decisão judicial, uma vez que a terra é duplamente protegida, pertencendo a 13 povos indígenas e também fazendo parte do Parque Nacional do Pico da Neblina. Fomentar turismo na região “será uma possibilidade de construção de agenda positiva e de superação dos conflitos históricos", como explica Luciana Uehara, gestora do Parque Nacional do Pico da Neblina.

Considerado um local sagrado para os índios, o Yaripo é alvo de extração ilegal de ouro, o que faz com que o turismo seja ainda mais relevante, ampliando a fiscalização e coibindo a prática. A atividade também beneficiará economicamente 800 pessoas da etnia Yanomami, que trabalharão diretamente com o turismo.

O plano ecoturístico foi elaborado por quatro anos. Além dos indígenas, o trabalho foi desenvolvido em parceria com o próprio ICMBio, Funai, Exército Brasileiro, Secretaria de Turismo de São Gabriel da Cachoeira e Instituto Socioambiental (ISA). A visitação deverá ser aberta ao público somente em 2019 e quem tiver interesse em conhecer o Pico da Neblina com os Yanomami pode se inscrever na lista de espera mantida pela Associação Yanomami do Rio Cauaburis (Ayrca), responsável pelo turismo no local.

O PARQUE - O Parque Nacional do Pico da Neblina foi criado em 1979 com o objetivo de proteger a riqueza natural da região amazônica e controlar a ocupação desenfreada das fronteiras no norte do país. Localizado na fronteira com a Venezuela e Colômbia, o Pico da Neblina é o ponto culminante do país, com 2.995 metros de altura.

registrado em:
Fim do conteúdo da página